Apologética

Apologética Cristã

Introdução – Tiago Hirayama Agosto de 2013

A Apologética Cristã não é o ataque mas sim a defesa do evangelho de Cristo, do Seu Senhorio, de sua verdade absoluta e da arquitetura do seu plano de resgate do homem, estabelecidos por Ele em seus decretos eternos.

É, portanto, responder ao engano do qual anteriormente fomos presos, e do qual fomos resgatados não pelos nossos méritos, perspicácia ou sabedoria, mas pela incompreensível manifestação da Sua Graça. E é a plena compreensão disto que nos tira por completo o direito ao ataque a pessoas que hoje se encontram exatamente onde estivemos, ao mesmo tempo em que nos dá o pleno direito a resposta ao engano que as acorrenta, cujo a qual já fomos anteriormente acorrentados.

Objetivo

A fé cristã é mais que declarações verdadeiras e doutrinas corretas. Se tudo o que fazemos é defender um conjunto de preposições e doutrinas, sem pratica-las e sem entende-las, o resultado será, uma fé morta, como aquele Jovem Rico que se aproxima de Jesus em Mateus 19:16-22 e pergunta ao mestre o que ele deveria fazer para conseguir a vida eterna. Esse Jovem Rico conhecia os mandamentos, seguia esses mandamentos desde sua juventude, sabia que existia um Deus, sabia que existia uma vida eterna, conhecia a “teologia do antigo testamento”, mas mesmos sabendo tudo isso, demostrava que seus conhecimentos não passavam de religiosidade e um desejo de alcançar a vida eterna pelos seus méritos. O mais surpreendente dentro dessa passagem é que Jesus o Rei, não fez uma estratégia, não passou as mãos nas costas do jovem rico e pediu para ficar até o fim , pois talves Deus tocaria seu coração, Jesus não fez apelo no fim de suas palavras para que o aceita-se, muito menos convidou o jovem rico para fazer uma campanha de 7 semanas para receber o que ele queria…Pois o que ele queria,  somente Deus através de sua eleição antes da fundação do mundo, poderia ter feito, e Jesus sabendo disso, não tentou de nenhuma forma fazer o que alguns “evangelistas” fazem hoje em dia…Oferecem certeza de Salvação para pessoas que Deus nunca escreveu no livro da vida…Triste Dia será, quando essas pessoas chegarem diante da Majestade e clamar “Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Não fizemos numerosos milagres em teu nome? Não chegamos a expulsar demônios em teu nome?”Eu então hei-de declarar-lhes: “Nunca vos conheci. Afastem-se de mim, seus malfeitores!”.Mateus 7:22-23″

A fé cristã precisa ser pessoal, experimentada através de uma obra transformadora no coração e na vida.

Em 1 Pedro 3.15-16 o Apóstolo nos oferece a base clássica para a apologética: “e, nos vossos corações, honrem a Cristo como Senhor. Estejam sempre preparados para RESPONDER a todos os que vos interrogarem acerca da esperança que têm. Mas façam-no com gentileza e respeito, tendo a consciência tranquila. Desse modo, serão confundidos os que dizem mal do vosso procedimento segundo a fé em Cristo, mesmo naquilo em que vos acusarem.”

A palavra “RESPONDER” que vem da palavra grega (ap-ol-og-ee’-ah – apologia) é um substantivo que também pode ser traduzido como “ARGUMENTO, ou EXPLICAÇÃO, ou TEMOR.

O que o Apóstolo Pedro está querendo dizer é básico e simples, ele está insistindo a todos os cristãos que entendam no que eles creem, e mais, que entendam os motivos pelos quais eles sãos cristãos, logo em seguida, depois de entender isso, depois de compreender os motivos verdadeiros, que eles sejam capazes de articular, de defender, de argumentar, de explicar, suas crenças de um modo humilde, bem pensado, aceitável e especialmente biblicamente.

A palavra apologia aparece oito vezes no novo testamento, se você acompanhar comigo versículo por versículo, não terá como não entender o que Pedro está querendo dizer no versículo que deixei logo acima.

  • Apóstolo Paulo em Filipenses 1.7 – É justo que eu tenha estes sentimentos a vosso respeito pois vos trago a todos no coração, por tomarem parte comigo na missão que Deus me confiou, tanto na minha prisão como na DEFESA e proclamação do evangelho.

  • Apóstolo Paulo novamente em Filipenses 1.15-17 – É certo que alguns anunciam a Cristo por terem inveja e rivalidade, mas outros fazem-no com boa intenção. 16 Uns fazem-no por amor, sabendo que tenho por missão a DEFESA do evangelho; 17 outros anunciam Cristo por espírito de competição e sem sinceridade. Querem aumentar os meus sofrimentos agora que estou preso.

  • Apóstolo Paulo em 1 Corintios 9.3 – Com isto quero DEFENDER contra aqueles que me criticam.

  • Apóstolo Paulo em 2 Corintios 7.11 – Porque, quanto cuidado não produziu isto mesmo em vós que, segundo Deus, fostes contristados! que APOLOGIA, que indignação, que temor, que saudades, que zelo, que vingança! Em tudo mostrastes estar puros neste negócio.

  • Apóstolo Paulo em Atos 22.1 – Homens, irmãos e pais, ouvi agora a minha DEFESA perante vós.

  • Apóstolo Paulo em Atos 25:16 – Aos quais respondi não ser costume dos romanos entregar algum homem à morte, sem que o acusado tenha presentes os seus acusadores, e possa DEFENDER-SE da acusação.

  • Apóstolo Paulo a Timóteo em 2 Timóteo 4:16 – Ninguém me assistiu na minha primeira DEFESA, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado.

Não somente Apóstolo Pedro nos exorta a defender, explicar, batalhar pela nossa fé, mas toda a carta poderosa de Judas o irmão de Tiago, nos oferece as características daqueles, cujos quais nós devemos ser contra. No versículo três da carta de Judas, ele nos exorta a batalharmos pela fé que foi entregue de uma vez por todas. “Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos. Judas 1:3″

Embora a salvação daqueles a quem Judas havia escrito não estivesse em perigo, os falsos mestres que pregavam e viviam na pratica de um evangelho falso estavam desviando aqueles que precisavam ouvir o verdadeiro evangelho, Judas escreve esse chamado imperativo para todos os cristãos, para que entrem em guerra contra aqueles que pregam o erro, para que batalhassem diligentemente na defesa da fé, como soldados que protegem um tesouro santo, que é o evangelho de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Lista dos termos que Judas usa para descrever os falsos mestres

Homens ímpios – versículo quatro

Moralmente pervertidos – v 4

Negam a Cristo – v 4

Sonhadores – v 8

Contaminam se a si mesmos – v 8

Rejeitam as autoridades – v 8

Difamam os seres celestiais – v 8

Difamam aquilo que não entendem – v 10

Destroem a si mesmos – v 10

Buscam o dinheiro – v 10

São pastores que só cuidam de si mesmos – v 12

São nuvens sem água, impelidas pelo vento – v 12

Árvores de outono, sem frutos, duas vezes mortas, arrancadas pela raiz – v 12

São ondas bravias do mar, espumando seus próprios atos vergonhosos – v 13

Estrelas errantes, para as quais estão reservadas para sempre as mais densas trevas – v 13

Vivem se queixando e são descontentes com a sua sorte – v 16

Seguem os seus próprios desejos impuros – v 16

São cheias de si – v 16

Adulam os outros por interesse – v 16

Zombadores – v 18

Seguem os seus próprios desejos ímpios – v 18

Causam divisões – v 19

Não podemos deixar de relembrar, que essas características são próprias de falsos mestres, por isso se você se encontra em um local, cujo o líder apresenta essas características, tome cuidado e comece pensar seriamente em buscar uma igreja que seja bíblica e possa te dar o suporte necessário para seu crescimento no conhecimento verdadeiro de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Métodos

Dentro da apologética há dois aspectos / métodos básicos de apologética Cristã. O primeiro, conhecido como apologética clássica, envolve compartilhar provas e evidências de que a mensagem Cristã é verdade. O segundo, conhecido como apologética presuposicional, envolve confrontar as pressuposições (idéias pré-concebidas, suposições) por trás das posições anti-Cristãs.

Argumentos

Argumento cosmológico, argumento ontológico, argumento teleológico. Todo outro tipo de argumento circula em volta desses três argumentos, podem mudar as palavras, mas sempre estarão discutindo as idéias apresentadas por esses três tipos de argumentos.

Considerações Finais

 

Apologética é a defesa das verdades absolutas irrevogáveis da palavra, principalmente as verdades do evangelho de Jesus Cristo.

Apologética é tanto para aqueles que estão fora da igreja, quero dizer aqueles que não creêm em um Deus Criador, como para os que estão dentro da igreja, ou seja, para aqueles que se dizem cristãos mas não o são verdadeiramente. Esses são dois campos extremamente amplos e de vasto alcance, por isso não basta somente decorar argumentos, com isso não estou querendo dizer que não seja importante, sim é bastante importante saber os argumentos já criados e debatidos por séculos, mas também precisamos entender que cada pessoa é diferente, cada pessoa tem uma cosmovisão, cada pessoa tem um entendimento de Deus, se Ele existe ou não. Por isso aquele que entra no campo do debate das idéias e dos argumentos precisa ser muito sensivel para a situação que cada indivíduo se encontra naquele momento, porque o essencial não é ganhar ou ficar humilhando o oponente, mas ao invés disso, é plantar sementes, ou melhor dizendo, fazer como o profeta João Batista fez, sempre apontar para Cristo “É necessário que ele cresça e que eu diminua”. João 3:30

Não consigo ver o ponto de certos debatedores que argumentam ferozmente sobre a existência de Deus, mas não oferecem nada do Evangelho, não oferecem nada a respeito de Cristo, e se falam sobre Cristo, batem na mesma moeda tentando provar para o homem morto espiritualmente, que existe razões lógicas para se crer em Cristo, dando a entender que o único motivo pelo qual essa pessoa creêm em Cristo, é por causa das razões e não pela fé oferecida graciosamente ao pecador.

Oro para o Senhor nos ajude a ser mais plantadores de sementes amorosos, humildes, sempre nos diminuindo para que Cristo possa crescer cada vez mais, e menos arrogantes que só sabem argumentar em padrões robóticos memorizados, sem nenhuma preocupação em levar os perdidos ao encontro do Cristo ressurreto. Em nome De Cristo Jesus eu oro. Amém

 

Fontes:

Aulas do Prof. Antônio Neto
Aulas do Dr. Alister McGrath
Biblia de Estudo MacArthur
Livro o Evangelho Segundo Jesus – John MacArthur
Site GotQuestion
Publicações de Vincent Cheung

 

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Up ↑

%d bloggers like this: