Valores

Hoje em dia Cristãos ao redor do mundo tem discordado de uma série de crenças e questões teológicas, como batismos, dons, ofertas e etc…Mas como seguidores de Cristo, estaremos em primeiro lugar nos compromissando de pés juntos para o principal, o evangelho de Jesus Cristo , secundaria-mente as demais questões. O evangelho de Jesus Cristo tem sido deturpado, mal compreendido, e marginalizados em muitas igrejas e entre aqueles que proclamam o nome de Cristo. Portanto, sentimos a urgência em defender o Evangelho todo ao homem todo. Nós, eu e minha esposa, juntamente com muitos outros, estamos nos dedicando em construir novamente a centralidade do Evangelho de Jesus Cristo (em oposição ao outro evangelho, cuja a centralidade tem sido o homem), nosso foco principal é deixar de lado toda religiosidade que tem girado em torno do mundo evangélico e trazer novamente o Jesus Histórico para dentro de nossas igrejas e pregações.

O que não é o Evangelho de Jesus Cristo?

O novo nascimento não é o Evangelho – Aqueles que pregam “você precisa nascer de novo” como Evangelho estão pregando um Evangelho falso. Para começar, o novo nascimento (cujo é bíblico) é a obra do Espírito Santo (assim como do Pai em predestinar, e Jesus em morrer na cruz pelo seu povo). É um evento cujo qual toma lugar no pecador, e não uma obra que possa ser feita ou buscada. Portanto o novo nascimento é uma obra do Espirito Santo em fazer que o pecador seja espiritualmente nascido de novo (João 3:1-15; Ezequiel 36:24-27). O novo nascimento só ocorre pela obra do Pai que predestinou o pecador antes da fundação do universo (Efésios 1:3-14; Romanos 8:28-30).

A segunda vinda de Jesus Cristo não é o Evangelho – Assim como o novo nascimento é bíblico, assim também a segunda vinda de Jesus Cristo é bíblico. Entretanto, assim como o o novo nascimento não é o Evangelho, assim também a segunda vinda não é o Evangelho. A segunda vinda de Cristo é o advento futuro, é o consolo do crente (1 Tessalonicensses 4:13-18) que é baseado nos seguintes fatos (1) os mortos ressuscitarão e participarão pessoalmente da vinda do Senhor; (2) quando Cristo vier, os vivos se reunirão novamente com seus entes queridos que dormiram em Cristo para sempre; (3) todos estes estarão com o Senhor eternamente.

O milênio não é o Evangelho – Nessas últimas décadas, tem tido um interessante crescimento no pós-milenismo e naqueles que acreditam que o milênio seja apenas simbólico, cujo qual ensina que homens sem a presença de Jesus Cristo inaugurarão o milênio ou fazem parte já, nesse tempo de agora do milênio simbólico . Não podemos confundir, não estamos no milênio agora, e pessoas sem o Espírito de Deus também não entrarão no milênio. O milênio é um evento futuro, assim como o arrebatamento ou a segunda vinda, não pode ser o Evangelho. No relato do livro de Apocalipse 20, nós temos 6 referências do milênio, alguns falam que é simbólico (algo figurativo, algo que não é literal), mas entendo que embora o livro de Apocalipse tenha bastante figuras de linguagem, não tem o porque extender os termos figurativos para quantidade de anos. Sendo um evento futuro, o milênio ainda virá e Cristo reinará fisicamente e pessoalmente nesses mil anos.

O batismo com o Espírito Santo não é o Evangelho – A preocupação do movimento carismático é a busca por esse batismo, é a busca por ser mais espiritual, é a busca por uma possivel experiência em detrimento do conhecimento. Falam que somente através desse batismo sua vida assim será cheia do Espírito, entretando entendem totalmente errado os termos batismo e vida cheia do Espírito. (1) Batismo com o Espírito Santo é o ato único de Deus em colocar os crentes no corpo de Cristo, a igreja (1 Coríntios 12:13). (2) A plenitude ou vida cheia do Espírito é uma realidade repetida no comportamento que é controlado pelo Espírito (Efésios 5:18-33),  a plenitude do Espírito afeta todas as areas da vida, não apenas o testemunho ousado que somos impulcionados pelo Espírito a dar, mas também todo o nosso viver.

O que é o Evangelho de Jesus Cristo?

O Evangelho de Jesus Crsito é informação sobre um evento passado e histórico – Cada uma dessas palavras, passado, histórico e evento são de vital significancia para entender o que é o Evangelho. O tempo “passado” do Evangelho é um de seus aspectos essenciais. O Evangelho não era uma visão, não era um sonho. O Evangelho é boas novas sobre um evento que aconteceu na história.

O Evangelho é informação sobre uma experiência única e realizações – Uma experiência única é aquela que não pode, por definição, ser repetido. Se o crente pudesse experimentar o Evangelho, então ele poderia repetir a experiência, e se ele pudesse repetir a experiência, então o Evangelho não poderia ser sobre uma experiência única. O Evangelho é perfeito. Desde a queda, não temos tido perfeito, seres humanos comuns na Terra, mesmo antes ou depois do Evangelho. Se o homem pudesse ser perfeito, eles não necessitariam do Evangelho.

O Evangelho é a respeito da obra substitutiva de Cristo ( Colossenses 1:13-23) – O Evangelho é o que Deus tem feito em Cristo no meu lugar. Se eu pudesse experimentar isso, não seria feito no meu lugar. O Evangelho não pode ser experimentado. Nós certamente experimentamos os seus benefícios, mas assim como já temos visto, o fruto ou benefícios não são o Evangelho. O Espírito Santo dado aos crentes é o efeito da obra final de Cristo no lugar do seu povo. Da mesma forma são fé, esperança, alegria, paz, e santidade como um estado do crente. Eles são todos efeitos do Evangelho. Nós não devemos confundir a raiz (O evangelho) com o fruto (Colossenses 1:5-6).

Existem três aspectos importantes sobre isso:

  1. Primeiro, O Evangelho é a respeito da obra perfeita de Deus em Jesus Cristo. A menos que nós preguemos uma obra de perfeição em Jesus Cristo, nós não estaremos pregando o Evangelho. O Evangelho não admite desenvolvimento. Qualquer coisa que admite um desenvolvimento ( a vida Cristã de Santificação por exemplo) não pode ser o Evangelho. Por exemplo, fé é boa, mas não é perfeita. Arrependimento é bom, mas nenhum de nós, nos arrependemos como deveríamos. Santo viver é bom, e ninguém verá o Senhor sem ela (santidade), mas nosso viver mais santo está longe  de ser santo suficiente. Nenhuma dessas coisas podem ser qualificadas como sendo o Evangelho.
  2. O segundo aspecto importante é que o Evangelho é informação sobre a obra perfeita de Deus em Jesus Cristo. Mesmo que o crente fosse perfeito, o evangelho não seria sobre ele. É a respeito de Jesus Cristo como o lugar da obra perfeita de Deus. Nada do que esta acontecendo com o crente pode ser chamado Evangelho. Possivelmente pode ser chamado de fruto do Evangelho, mas não de Evangelho.
  3. O terceiro aspecto importante é que o Evangelho é informação sobre a obra perfeita de Deus em Jesus Cristo por seu povo. O Evangelho é boas novas para aqueles que são escolhidos em Cristo para Salvação. Para eles é o aroma de vida, mas para aqueles que estão perecendo é cheiro de morte (2 Coríntios 2:14-17). O que Paulo está querendo enfatizar aqui é o efeito duplo da pregação do Evangelho, que para alguns a mensagem do Evangelho trás a vida eterna e glorificação final. Para outros é a pedra de tropeço que trás condenação e morte eterna. Portanto Cristo não morreu para que “talvés” aqueles que aceitassem a sua morte seriam salvos, ao contrário, Cristo morreu por seu povo Eleito e especifico, para que a eleição e a vontade de Deus seja cumprida (João 6:39-40; 6:44; 6:65). Se Cristo tivesse morrido por todos, todos seriam salvos, mas sabemos que há especificações quanto a salvação, por exemplo, somente aquele que for enviado por Deus Pai será salvo.

Questões para aplicação

  1. O que você acha daquilo que não é o Evangelho?
  2. Quais fatores principais do Evangelho você acredita ser essenciais para pregação?
  3. Como posso conciliar aquilo que não é Evangelho com o que é Evangelho?
  4. Como posso aplicar o verdadeiro Evangelho na minha vida?
  5. Você já pensou em como conhecer mais do Evangelho?

Termos chaves

Novo nascimento – Segunda vinda de Cristo – Milênio – Batismo com o Espírito Santo – Predestinação – Eleição – Fruto – Evento passado e histórico – experiência única e realizações – Obra substitutiva – Obra perfeita

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Up ↑

%d bloggers like this: